O Palhaço que tinha medo de risada – História Poética

O Palhaço que tinha medo de risada – por Murilo Silva

Era uma vez

Um palhaço…

.

Que tinha medo de risada!

.

Seu primeiro dia no Circo

Na primeira palhaçada

A plateia inteira riu

De forma sincronizada

.

O palhaço ficou duro!

Sentiu-se só, no escuro

Do picadeiro fugiu

Onde é que já se viu?

Coisa tão inusitada

Um palhaço, minha gente

Que tem medo de risada!

.

De aplausos ele gostava

Assobios? Sem problema!

Mas vivia um dilema

Sempre a cada palhaçada

Pois esse era um palhaço

Que tinha medo de risada!

.

Vamos fazer um teste,

Pra ver se é mesmo verdade?

Ou se é coisa da vaidade

De um palhaço inconsequente?

Quem aí está contente?

Vamos dar uma gargalhada?

Bem alta, bem ritmada,

Daquelas bem estridentes?!!

.

1, 2, 3….

Ahahahahahahahahahahahaha!

.

Xiiiiii

Não tem jeito minha gente!

Tô ficando preocupada

Esse é mesmo um palhaço

Que tem medo de risada!

.

Ele foi pra terapia…

Ouviu risada de bruxa!

Mas vejam só, que papel!

O médico receitou até

Risada de…. Papai Noel!

.

Risada de voz muito grave

E de voz esganiçada

Só pra ver se ele perdia

O tal medo de risada

.

Risada de bebezinho…!

Risada de vovózinha…!

Risada até de porquinho…!

E o pato até arriscou

uma risada baixinha….!

.

Conversou com uma hiena

Que ria enquanto falava

E a tal da terapia, foi dando uma melhorada

E o palhaço foi perdendo

O seu medo de risada!

.

Depois de ouvir tanto riso

Depois de ouvir gargalhada

Chegou a hora de o palhaço

Ter a coragem testada

Será que ele ainda teria

O tal medo de risada?

.

Plateia na arquibancada

Gente de toda idade

De cada canto do mundo

De diferentes cidades

.

O apresentador chegou

E ali logo anunciou

Do circo a tal novidade

.

“Nariz de Tomate

Seja bem-vindo ao circo!”

.

Ele entrou no picadeiro

E deu logo um trupicão!

Antes de chegar no meio

Deu foi com o nariz no chão!

.

Ô palhaço mais maluco!

É da trupe zupe-zupe

Era Nariz de Tomate

Mas agora é Quétichupe!

.

Começou a risadagem

Todo mundo gargalhava

O palhaço se escondeu

Mas aos poucos já gostava

De ouvir aquele som

Quer dizer que ele era bom!

E todos gostavam dele!

.

Ele então continuou

Seu número prosseguiu

A plateia riu, que riu

Assobiou, aplaudiu!

E ele estava curado!

.

Viva o Nariz de Tomate!

Viva a sua palhaçada!

Viva o palhaço que um dia

teve medo de risada!

.

Por Mari Bigio

Sobre Mariane Bigio

Poeta e Videasta. Eu faço versos como quem chora, ama, brinca, ri.... Eu faço versos como que vive.
Esse post foi publicado em Poesia Infantil e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para O Palhaço que tinha medo de risada – História Poética

  1. Franci Palhano disse:

    Mari!!!! Que delícia de texto. Que riqueza o seu jogo de palavras. Amei, amei, amei. Vou soprar, tá? Ele vai bemmmm longe. Até onde nossos olhos não alcançam. Mas, que você sempre possa sentir o gosto bom da risada que você desperta dentro da gente. Obrigada, Mari. Muito obrigada Beeeeijo

Deixe uma resposta para Franci Palhano Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s