Arquivo da tag: Poesia Pernambucana

“Carta ao Pirata” ou “Tesouro da Mamãe” – Cordel para Crianças

Esta aqui é um históriaQue se passa em alto marNum navio de piratasQue está sempre a navegar Capitão perna-de-pauÉ caolho e carrancudoTem cinco dentes de ouroAlém de ser bem barbudo Certa noite foi dormirDepois de pilhar naviosE mergulhou em um … Continuar lendo

Publicado em CORDEL, Cordel para Crianças | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Uma Menina Vestida de Jardim – Cordel para Crianças

Uma menina vestida de jardim Sitio Formoso era lindo Feito o nome já dizia Lá morava uma menina O seu nome era Maria O mesmo nome da avó Da mãe e também da tia   Por haver tanta Maria Pra … Continuar lendo

Publicado em Cordel para Crianças | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

A roupa que a gente veste / A roupa que veste a gente – Cordel

  A roupa que a gente veste A roupa que veste a gente Por Mariane Bigio A gente andava pelado Isso foi antigamente O Índio ‘inda anda assim Se porta naturalmente A gente é que se reveste A roupa que … Continuar lendo

Publicado em CORDEL | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Adivinhas em Cordel – Personagens do Folclore Brasileiro!

  Boto Cor-de-Rosa Sou bicho que vive n’água mas a noite quando vem me transforma num humano tão belo como ninguém depois de bailar com as moças volto ao rio e durmo bem… Curupira Eu sou  protetor das matas de todos … Continuar lendo

Publicado em CORDEL, Cordel para Crianças | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 12 Comentários

Breu total

Um verso no escuro não tem dono Um verso no escuro não é visto Só se ouve, um verso no escuro No escuro o verso fica puro Sem face, sem pele, só a voz E o verso que é dito … Continuar lendo

Publicado em Poesia - Verso livre | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Nem Nada

    A medida que nem tudo que parece é nem tudo que perece era Ao passo que nenhum peito é só amor Nenhuma carne é só desejo Nem tudo fora é despejo Nem toda pressa é vontade Nem toda … Continuar lendo

Publicado em Poesia - Verso livre | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Sóbrioevivo

somente uma arma será útil (ante tão sofrível existência) a nos manter de pé por sobre Terra mais que a gravidade: a insistência.

Publicado em Poesia - Verso livre | Marcado com , , | Deixe um comentário